quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Zine é Phoda!!!


Anormal! (Cuentos infantiles para enanos con bajo rendimiento mental)
Zine de HQ uruguaio que era editado pelos companheiros Puff e Marina

Baixar!!!

domingo, 23 de novembro de 2008

Alcohol (gbh)


















Words & Music: Abrahall, Blyth, Lomas, Williams

You're like a kind of religion,
I see you each night on television.
I can't remember all your names,

I love you running through my veins.

Alcohol, oh alcohol, I love you in my brains.
Acohol, oh alcohol, I never want you again.


I come and see you every night,
take out my purse and i'll buy you a pint .
Would you like another ?
No thanks,
tonight i'm wearing incontinence pants.

Ⓐ internacional Ⓐ







Hino dos trabalhadores de todo o mundo. 0 poeta francês Eugène Pottier (1816-1887) escreveu a letra do hino A INTERNACIONAL Em 1871. Como sabemos, em 1871 a Europa e o mundo foram sacudidos por uma revolução proletária conhecida como A Comuna de Paris. Esta revolução durou dois meses,até ser derrotada militarmente pela burguesia européia. Eugène Pottier, operário, participou deste acontecimento e estava curtido de revolução. A primeira publicação de seu poema foi em 1887, ano de sua morte.


O músico belga Pierre Degéyter (1848-1932), também operário, compós a música no ano de 1888, o mesmo ano em que o hino foi executado pela primeira vez pelos operários de Lille (França). Aqui no Brasil, temos registros de que A INTERNACIONAL era cantada nas manifestações e nos grandes eventos operários já no início do século pelos trabalhadores anarquistas, principalmente no Primeiro de Maio. Vemos então que o hino A Intenacional é proletária por sua letra, sua música, seus autores e o contexto histórico em que a obra foi concebida. 0 manuscrito original da composição musical encontra-se na Federation Musicale Populaire de Paris.


De pé. ó vitimas da fome de pé, famélicos da terra
Da idéia a chama já consome A crosta bruta que a soterra
Cortai o mal bem pelo fundo de pé, de pé, não mais senhores
Se nada somos em tal mundo Sejamos tudo ó produtores

BEM UNIDOS, FAÇAMOS NESTA LUTA FINAL UMA TERRA SEM AMOS A INTERNACIONAL BEM UNIDOS, FAÇAMOS NESTA LUTA FINAL UMA TERRA SEM AMOS A INTERNACIONAL

Senhores, patrões, chefes supremos Nada esperamos de nenhum
Sejamos nós que conquistemos A terra mãe, livre, comum
Para não Ter protestos vãos Para sair deste antro estreito
Façamos nós com nossas mãos Tudo o que a nós nos diz respeito

0 crime do rico a lei o cobre O Estado esmaga o oprimido
Não há direito para o pobre Ao rico tudo é permitido.
À opressão não mais sujeitos Somos iguais todos os seres
Não mais deveres sem direitos Não mais direitos sem deveres

Abomináveis na grandeza Os reis da mina e da fornalha
Edificaram a riqueza Sobre o suor de quem trabalha
Todo o produto de que sua A corja rica o recolheu
Querendo que ela o restitua O povo quer só o que é seu

Nós fomos de fumo embriagados Paz entre nós guerra aos senhores
Façamos greves de soldados Somos irmãos trabalhadores
Se a raça vil cheia de galas Nos quer á forma canibais
Iogo verá que nossas balas São para os nossos generais

Pois somos do povo os ativos Trabalhador forte e fecundo
Pertence a terra aos produtivos Ó parasita deixa o mundo
Ó parasita que te nutres Do nosso sangue a gotejar
Se nos faltarem os abutres Não deixa o sol de fulgurar


domingo, 16 de novembro de 2008

The CO2
















(Foto: Show La Lupe Bar)

MySpace: myspace.com/theco2punkrock

Data: 2006-Hoje
Gravações: CD Demo Homônino (The CO2)
Shows: Fundação Copel, Lemmis bar, laLupe... etc
Formação: Armando/Guita-Vocal, Silvia/Baixo-back e Flores/Batera

Vídeos: www.youtube.com/kazulobar

Baixe o CD clicando no link abaixo e se curtiu ajude-nos divulgando:
http://www.4shared.com/file/71802552/2ea09dbc/The_CO2.html


sábado, 8 de novembro de 2008

Já estamos lá... Só ainda não sabemos.

Mais ou menos 4000 anos antes de cristo... Descobrimento da escrita... Final da pré-história... Início da história antiga... 476 D.C. Queda de Roma... Início da idade média... 1453 D.C. Queda de Constantinopla... Início da idade Moderna... 1789 D.C. Queda de Bastilha... Marco da Revolução Francesa... Início da idade Contemporânea... 2001 D.C. (11-09) Queda do World Trade Center... Início do Fim da História... Novos tempos... novos mundos.... Sociedade Auto Destrutiva...

Arriba Arriba Up - Abajo Abajo down

Prós...
Poca Policia mucha diversión, O clube da luta, Laranja mecânica, George Orwell, Os 12 Macacos, Voltaire, Opera&mozilla Navigator, Linus Torvalds, cerveja abundante, Bar do João, Atak Social, S.A.D., Os Impregnantes, Horrible Day, Já Sem dentes, Ode to Joy, cuturno velho, spike novo, Eskorbuto, RIP, Tarzan, 37 hostias,, DK, Os Mocos, Ska-p, www.astakask.com , mp3, V de Vingança, Peter Pank, Tank Girl, Mutarelli, Marião, Hans R. Giger, Bob Cuspe, Punk & anarchy, Itupava, costelão assado, Simpsons, Chaplin, Chaos uk, Anti Pasti, Reincidentes, Conexão Campo Comprido/Capão Raso, Conexão Água Verde/Fazendinha, fusca roxo, Jipe branco, Punk & disorderly,GBH, Varukers, Delinquentes, Morretes & pinga de banana, wwf, w. reich, cine trash, tattoo, invasores de cerébros, rayo Vallecano, zines, punk rock, utopia, Marumby, HQ's undergrounds, Replicantes, Discarga Violenta, fear of war, fear of god...

Contras...
Mucha policia poca diversión, Big Brother, Tv, Mtv, Office, ruindows, Billou & I. explorer, Rua da cidadania, Atari & pac-man, Celular, Supla, Santa Claus, Silvio Santos, Eleições, Shakira, Disney, Atual estrutura social, contraste social, futebol, carnaval, samba, bitolação musical, síndrome da canção aprisionada, distopia nazi, Globo, coca-cola, qualquer coisa marrom que não seja terra ou chocolate, Mc Donalds, Edir Macedo, Padre Marcelo desafinado, Criança esperança & paternalisno alimentador de egos, funk, Tchan, pedofilia, o sul é o meu país, família tradição e propridade, Raimundos, HC romântico....

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Punks de la Montaña!!!




Decidimos meio que na louca em ir novamente acampar na serra do mar, fazendo a famosa trilha do Itupava, primeiro acesso Curitiba/Paranaguá (ou vice-versa), por onde vinham os jesuitas, montados em seus burricos; quase toda a extensão que resta da trilha original é calçada de pedras (muito lisas por sinal), os responsáveis por essa construção foram nada mais nada menos que os sofridos escravos africanos, explorados por estes “mártires” pregadores do catolicismo... É uma sensação estranha, saber que está andando no pouco que resta da mata atlântica nativa brasileira, que está sendo devastada mais rapidamente que a própria Amazônia, em uma trilha formada por suor e sangue...

O começo da caminhada se faz no ponto final do ônibus Borda do Campo, no município Paranaense de Quatro Barras, por aí seguimos por carreiros, fazendas e propriedades particulares, passando por vários picos como Anhangava e Pão de Ló; após passar por uns banhados ficam pra trás as últimas cercas, ali já estamos totalmente embrenhados na mata, cortando morros e rios (que em dias de chuva formam uma correnteza que quase nos arrasta), subidas e decidas, grutas, fontes de água mineral... Chegamos ao Ipiranga onde tem uma mansão (de antigos nobres) abandonada no meio do nada, ou do tudo, uns espertos tiveram o dom de destruir esta casa, perto dali tem várias casas menores... Também perto a “roda d’agua”, onde já morreu um ou outro afogado... Dali seguimos caminho pelos trilhos de trem, passando por cima de grandes rios, usando como ponte os próprios trilhos, passo à passo, dormente por dormente. Depois de uma caminhada de 4 horas, chegamos ao local onde dormiríamos, na beira de um rio, nadamos um pouco e armamos as barracas. Neste local à noite dá pra notar pequenos animais que se aproximam da fogueira, ratos, preás, lagartos, cobras... Ficamos por ali dois dias, uns amigos que estavam juntos passavam o tempo escalando encostas de pedra de mais ou menos uns 10/15 metros, eu com medo de me quebrar ficava só bebendo e olhando. Desarmamos as barracas e fomos embora, na caminhada, por uma trilha secundária achamos um lugar muito louco (onde acampamos em outras vezes) , com clareiras e árvores enormes, escondido longe da trilha original, neste local pouco conhecido por mochileiros fica uma parte do rio bem funda, ficamos por lá umas horas, fumamos uma perombeta e fomos à represa do Véu da Noiva, ficamos mais uma tempo lá curtindo e cruzamos um pessoal que fumava um baseado em cima da barragem... Indo pra estação de trem recebemos a primeira má notícia, com a privatização da rede ferroviária cortaram por tempo indeterminado, começando justo naquele dia, os trens passageiros... Teríamos que ir à pé... O pessoal que acabávamos de encontrar resolveu voltar a trilha, nós resolvemos seguir até Porto de Cima, já sabendo que por causa do horário não mais teria ônibus naquele dia... Por termos pouca comida não tinha jeito de ficar mais uma noite, então seguimos sabendo que logo logo cairia a escuridão (e só tinhamos uma lanterna). Cortamos um morro até o santuário do Cadeado, onde demos um tempo para ver o trem cargueiro passar, em cima do trem tinha uns moleques, vindo na louca em direção à Curitiba, continuamos e descemos a serra até chegarmos à “civilização”, já estava noite e sem ônibus, tivemos que seguir de novo à pé pela estrada que vai à Morretes, uma reta de seis quilômetros sem um poste sequer para iluminar o caminho, depois de mais umas quatro horas de caminhada chegamos finalmente à rodoviária, onde matamos o cansaço e a sede com muitas cervejas... Pegamos o último ônibus para Curitiba...

Tem gente que acha que isso é masoquismo e sofrimento em vão, mais falam isso e outras coisas só se não conhecem a serra do mar.












(mapa da Trilha do Itupava, Local por onde passamos algumas boas vezes...)

A na Bola!!! Anarquia!


Contrário ao capitalismo, o Anarquismo surgiu como a doutrina política que defendia a necessidade de suprimir qualquer forma de Estado. Teve seus precursores no inglês William Godwin, autor de justiça Política (o poder exerce, pôr sua própria natureza, uma influência perniciosa), no alemão Max Stirner, que escreveu 0 Único ("todo Estado é tirania, tirania de um só ou tirania de muitos'), e no francês Pierre-Joseph Proudhon, o primeiro a utilizar a denominação anarquia para caracterizar suas teorias. Proudhon, aliás, deu maior consistência as idéias anarquistas e propôs a substituição do mecanismo capitalista de produção, distribuição, consumo e crédito, pelas cooperativas e imaginou também usar bônus de trabalho ao invés de dinheiro'.
Entretanto, foram os russos Miguel Bakunin (1814-1876), com o Catecismo do Revolucionário, e Pedro Kropotkin (1842-1921), com a Conquista do Pão, os responsáveis pelas principais teorias anarquistas. Sustentaram que o governo, e consequentemente, o Estado, representam a origem dos males da sociedade, não admitindo, como os marxistas, a necessidade de organizar o Estado Socialista, etapa transitória da ditadura do proletariado, inevitável para atingir a sociedade comunista. Afirmando serem o industrialismo e o capitalismo produtos do Estado, pregavam a eliminação do Estado e da propriedade privada, apresentando a sociedade anarquista como um conjunto de pequenas comunidades cooperativas dedicadas à distintas modalidades da atividade produtiva, sem visar ao lucro, mas ao auto abastecimento e ao intercâmbio direto (troca)". 'O Anarquismo revolucionário esteve representado em uma modalidade tipicamente terrorista pelo niilismo russo e assumiu uma de suas formas políticas mais vigorosas no chamado Anarco - Sindicalismo ou incorporação da ideologia anarquista ao movimento operário organizado."
Recorrendo A violência como meio de ação (preconizada por Bakunin, que justificara a luta armada, a greve e os atentados contra os governantes) ou rejeitando-a (conduta defendida por Kropotkin, que recomendava o não pagamento de impostos, o repúdio ao serviço militar e a recusa ao reconhecimento dos tribunais de justiça). O Anarquismo teve maior popularidade na Rússia, Itália, Espanha e nos Estados Unidos, onde fracassaram as comunidades anarquistas ali criadas.

O anarquismo é a política que mais chega perto da liberdade humana; e é também uma das políticas que tiveram a menor aceitação pelo povo mundialmente. É claro que teve suas épocas de grande adesão, mas as porcentagens não são muito relevantes...
Porém essa ideologia teve (e tem até hoje) milhares de fiéis simpatizantes, desde humildes pensadores até grandes intelectuais (escritores, pintores, músicos, atores, boêmios...). Seu estudo e literatura são muito vastos e portanto facilmente encontrados em bibliotecas, amostras, liceus...
A ética anarquista como complemento ao intelecto humano é politicamente indispensável, para formar um meio social justo e igualitário, com seres humanos sem medos fantasiados por dogmas, tabus e pela competição desleal que o capitalismo e a alienada sociedade de consumo impõe direta ou indiretamente, formando a maioria dos problemas de uma sociedade frágil.


Filmes que falam de Revolução
Infelizmente estes filmes devem ser muito difíceis de serem encontrados em locadoras comuns.

ESCÂNDALO, PAVOR E CHAMAS. Sob a direção de Mel Stuart, este filme norte-americano revive a tragédia de 146 trabalhadoras de uma tecelagem, queimadas em seu local de trabalho, quando faziam greve de protesto (que originou o 8 de março).

CECILIA, Co - produção franco-italiana dirigida pôr Jean-Louis-Comolli, é um longa metragem sobre a colônia Cecília, fundada por anarquistas italianos no Paraná, em 1890, esta colônia foi onde atualmente é a cidade de Palmeiras.

MALATESTA, do diretor alemão Peter Lilienthal, é um filme totalmente dedicado à vida de Enrico Malatesta (1853- 1932), o mais famoso anarquista do século XX.

METELLO, excelente trabalho de Mauro Bolognini, mostrando as lutas operárias na Itália, no inicio do século atual, e o confronto com as autoridades e com o fascismo ascendente.

OS COMPANHEIROS, outro notável filme italiano. Sob a direção de Mário Monicelli faz-se um painel dramático da luta dos operários de uma cidade que se industrializava na década de 1880. Elenco de alta qualidade, sobressaindo a atuação de Marcello Mastroiani no papel de um combativo professor socialista.

ROSA LUXEMBURGO é um filme alemão dirigido pôr Margarethe von Trotta enfocando a vida da teórica e revolucionária, cujo nome da o título da película.

*Viño de pinhais


Esta receita foi inventada pelos antigos punks da cidade de Pinhais... E era muito consumida em sua pequena sede na década de 90... Assim como na sede do Rebouças e aqui na Fazendinha também.

Coloque em uma garrafa de dois litros 1 litro de pinga, 1/2 de água, 1 pacote de k-suco de uva e uma xícara grande de açúcar... agite bem e beba com gosto..


Nomenclatura da Kachaça no kazulo

[Cana, Aguardente,]
[ desgraça, desgraçada,]
[ litrão, tubão, Turbão , ]
[Dengosa, Engasga Gato,]
[Aquela que matou o guarda}
[Água Benta,Bagaceira,]
[Branca, Caiana, Elixir, ]
[Abrideira, Boazuda]
[Caninha, Danada]
[Arrebenta Peito]
[Da Boa, Espanta moleque ]
[agua que passarinho não bebe]
[Brasa, Cura Tudo, óleo, Dona Branca]
[Esquenta Corpo, Azulinha,Braba,, Corta bainha, ]
[Dormideira, Estricnina, Amarelinha, Borbulhante, Chorinho,]
[Doidinha, Esquenta Dentro, Água que passarinho não bebe]
[Branquinha, 51, Cachorro de Engenho, Desmancha Samba,]
[Espanta Corno, óio, Ardosa, Bicha Boa, Cara de Pau, Danada,]
[ Espanta Sogro, Gás,goró,Azeite, Baixa Santo, Caninha Verde,]
[Dindinha, Espirito, Apaga Tristeza, Biriba, Cobertor de Pobre,]
[Da casa, Eleva a alma, Faz Chodó, Iaia me sacode, Mata Sogra]
[Parda, Tempeiro, Ferro, Imaculada, Macia, braba,Pau no burro,]
[Teimosa, Fogo, Jurupinga, Malvada, Perigosa, Tira Vergonha,]
[Friinha, Limpa, Mata Bicho, Pinga, Três Tombos, Laranjinha]
[Mata Paixão, ardida, Quebra Gelo, Urina de Santo, Gasolina]
[Lisa, Negrita, Remédio, Venenosa, Gastrite, Lava Garganta, ]
[ Lebréia, Óleo de Cana, Suor do Alambique, Zuninga,]
[Nó Cego, Sinhazinha, Xarope de Bêbado, Gororoba, ]
[ CACHAÇA The Real Brazilian Drink]

sábado, 1 de novembro de 2008

Aniversário do Linos!

O quê? Show Aniversário do Linos!
Onde?
No novo Linos
Quando? 26-10-08
Quem? Insanidade Local, Extrema Agonia e cadela Maldita

O Novo linos continua sendo igual sempre foi o antigo, com a diferênça de que agora ele se localiza na antiga garagem reformada da casa do Linão, onde ele guardava o chevettinho quando não caia na valeta que havia lá na frente.
O público varia entre aquela "velha guarda" dos fiéis frequentadores do lendário "CBGB Curitibano", uma galera mais nova que talvés nem teve a oportunidade de conhecer o antigo antro punk(1981-2005) e uns tiozinhos da vizinhança.
Rolou uma churrascada na faixola! porém não ví a cor "daslinguiça"...
Tocaram Insanidade Local, Cadela Maldita e Extrema Agonia (Punk/HC que resiste desde 89)



Cenas marcantes: O Baduí dando de presente pro Linão um DVD pirata 'boate Azul" e o luminoso que caiu na pinha dum cara que nem sentiu!

Festival punk-hc -Garuva SC -08 de novembro

Acontece dia 8 de novembro o 1° Festival Punk-hc de Garuva. As portas abrem às 17:00 hs


SHOWS COM AS BANDAS:

-The CO2(PR)

-carnifícina 77(SC)

-Insanidade Local(PR)

-Infectos(PR)

-Extrema Agonia

-Indigentes PHC(SC)

-Herdeiros do Ódio(SP)


Ingressos no local a 8.00 reais e um kg de alimento, sem o alimento 10,00 reais.
Local: Centro comunitário ST Lúzia(urubuquara)
Os alimentos serão doados a Pastoral da Criança do bairro Giorgia Paula de Garuva.
Realização:Indigentes phc - Apoio:tropical point, red point, copervida, borracharia moraes...